Quinta-feira, 30 de Abril de 2015

24.6.2005

Díptico Iraquiano

 

1.
SADDAM HUSSEIN EM CONFERÊNCIA ÍNTIMA

Diz as maiores barbaridades diante uma audiência restrita e escolhida.

Fingem que sorvem as suas palavras, como se de ensinamentos do Profeta se tratasse (ou sorvem-nas realmente, para decifrarem o mistério que reside em cada tirano).
Saddam perora, sentencia, pára de falar por segundos que parecem eternidades.
Como que alheio à tragédia que ele próprio é.
 
I-2003
 
 
2.
EMBARQUE
(os marines rumam ao Golfo Pérsico)
 
Vai, despede-te do pai.
Vai matar ou morrer no
deserto.
 
As lágrimas embaciam-te
os óculos, e não percebes,
meu pequeno, porque há
homens maus a afastá-lo
de ti.
 
America will prevail.
Oh yes. Democracy,
como sempre.
 
Ainda não o sabes, mas
já o perdeste, pequeno.
Mesmo de volta,
virá com a morte
nos olhos. A morte
dos que têm o teu
tamanho, pequeno.
 
2-VI-2003
 
 
publicado por RAA às 13:37
link do post | favorito
Quarta-feira, 29 de Abril de 2015

23.6.2005

Native north american child. Buffy Sainte-Marie é uma cantautora índia cree que me conquistou com Soldier Blue. A sua voz tem o timbre da tragédia, o timbre metálico da incredulidade ante o absurdo da destruição -- mas também, quando se esquece, o tom suave da gratidão pela vida, apesar de tudo .

publicado por RAA às 22:43
link do post | favorito

22.6.2005

Brahms. Já se deram conta do balanço dos Quartetos com Piano de Brahms?

 
publicado por RAA às 13:01
link do post | favorito

22.6.2005

Bor-rrés. E há aqueles irritantes que pronunciam Ror-rrê Luíce Bor-rrés...

publicado por RAA às 00:20
link do post | favorito
Terça-feira, 28 de Abril de 2015

20.6.2005

Babylon's burning. Ruts, grupo da segunda vaga punk. Memória do álbum de estreia, The Crack (1979), e da voz insurgente de Malcolm Owen, acabado de morrer. Quem ouviu «Savage circle», compreende a beleza dos motins. 

publicado por RAA às 13:37
link do post | favorito
Segunda-feira, 27 de Abril de 2015

19.6.2005

Um reencontro. Inesperadamente vi, aqui na Bulhosa de Cascais, um álbum de Modesto e Pompom, a primeira série da chamada BD franco-belga com que tive contacto, quando in illo tempore, a minha Mãe chegou a casa com um magnífico volume encadernado da revistaTintin -- oferta que deixou em mim uma marca profunda, bem visível muitos anos depois... Esta série, tão discreta quanto importante, criada por André Franquin, continuada por Attanasio, Mittêï (autores, respectivamente, de Spaghetti e de O Incrível Désiré) e vários outros, gira em torno do irascível Modesto, a namorada Pompom, contraponto de bom-senso, de Félix, um vendedor de inutilidades, além de três sobrinhos pestes -- condimentos para diversas peripécias de grande comicidade. Já foi apontado que Franquin começou a ensaiar em Modesto e Pompom os esquemas insanes que depois vamos encontrar em Gaston Lagaffe; mas poderemos também vislumbrar algumas situações que este autor iria explorar nas Ideias Negras, a expressão do seu lado mais sombrio. Em http://bdoubliees.com/, podem encontrar a impressionante lista de argumentistas que colaboraram com estes e outros desenhadores: Peyo (Schtroumpfs), Tibet (Ric Hochet, Chick Bill), Greg (Achille Talon,Bernard Prince, Comanche, etc., etc.), Van Hamme (História sem Heróis, XIII), Godard (Martin Milan), entre vários outros.

publicado por RAA às 23:43
link do post | favorito

17.6.2005

 

É o meu nojo, e não o meu ódio, que me devora a grandes dentadas a vida!
Nietzsche
 
 
 
 
 
Nojo. Se cheguei a odiar alguém, estimei-o antes, depois lamentei-o, por fim veio o nojo, que me levou à execração do ódio.
publicado por RAA às 18:10
link do post | favorito (2)
Domingo, 26 de Abril de 2015

15.6.2005

A prosa, é do que mais gosto da poesia de Eugénio de Andrade. Quando nasci, já ele era um poeta célebre; quando tomei consciência da obra poética, já ela acusava um excesso de auto-referência -- «sílaba a sílaba», e outros bordões semelhantes; mas a beleza da sua prosa desde logo me conquistou. Nunca mais me esqueci de uma brevíssima passagem de um texto evocativo de Raul Brandão: «Era um poeta -- às palavras estava condenado»... Conheci-o superficialmente: investido, certa vez, de pouco invejáveis funções de representação, fui mostrar-lhe, e ao afilhado Miguel, toda aquela zona fantástica que vai do Guincho à Biscaia, ainda dentro dos limites de Cascais, pouco antes de alcançarmos o Cabo da Roca. Uma vez parado o carro, e calcorreando aqueles ermos ventosos, fiz os possíveis e os impossíveis para que ele não visse uma quantidade inusitada de cachos de bananas a apodrecer, que um javardo qualquer para ali tinha deitado à socapa, sabe-se lá porquê... Fui bem sucedido, felizmente. Daí a dias, recebíamos um testemunho magnífico, que seria publicado numa das revistas cá da terra. O Abencerragem oferece-se um excerto, um pouco mais abaixo, nas «Figuras de estilo».

publicado por RAA às 18:41
link do post | favorito
Sábado, 25 de Abril de 2015

14.6.2005

Fritura de miolos. Era o título da secção de charadas da histórica revista ABC, publicada todas as semanas por Rocha Martins e Carlos Ferrão, nos anos vinte do século passado...

publicado por RAA às 09:47
link do post | favorito
Sexta-feira, 24 de Abril de 2015

14.6.2005

Glásgua. É uma cidade da Escócia.

publicado por RAA às 18:49
link do post | favorito

.mais sobre mim

.tags

. todas as tags

.pesquisar

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

blogs SAPO

.subscrever feeds