Sábado, 20 de Junho de 2015

21.8.2005

Como soariam? A Capital! depois de Doze Casamentos Felizes, e ocorre-me: «Como seriam as vozes de Camilo e Eça? Como soariam?» Suponho a de Eça ligeiramente nasalada e aguda, como que a deixar-nos à-vontade -- tavez (passe o cliché naturalista) para melhor nos estudar. Quanto à de Camilo, sinto-a mais áspera e grave, a pôr-nos em guarda -- ela, que ao soltar-se já estaria de sobreaviso...

publicado por RAA às 02:26
link | favorito
Quinta-feira, 18 de Junho de 2015

20.8.2005

Spyder in my web.  Blues-rock: percebe-se, mas, apesar de tudo, é uma expressão redundante. Sem blues não há rock; estão-lhe nas veias, os blues, mais ou menos diluídos, mas estão. Ao ouvir um dos álbuns ao vivo dos Ten Years After, Undead, revisito o virtuosismo de Alvin Lee, a criatividade e a pujança, os solos de cortar a respiração.

publicado por RAA às 22:41
link | favorito
Quarta-feira, 17 de Junho de 2015

16.8.2005

Três visões do terror. 

 

O terror não chora.
 
Camilo Castelo Branco, A Filha do Regicida
 
Africanos a bordo dum negreiro, chegados a porto desconhecido. Índios num quotidiano de reserva, tentando juntar fragmentos estilhaçados duma ancestralidade perdida. Espectros silenciosos de judeus nos campos de extermínio nazis, aguardando a entrada de tropas Aliadas.
publicado por RAA às 23:02
link | favorito
Terça-feira, 16 de Junho de 2015

15.8.2005

Memories can't wait. Muito novaiorquinos, apesar da escocência do «líder», os Talking Heads estiveram numa linha de rock de vanguarda característica da big apple, já frequentada por gente como os Velvet Underground, e continuando a sê-lo por outra, como Nick Cave. Todo inglês, assombrava-me menos a novidade que eles indubitavelmente representaram -- principalmente com o concurso, na produção, do britânico Eno --, e mais a personagem David Byrne, na altura pelas vocalizações alucinadas que, não sendo dele específicas, lhe calhavam muito bem. Aliás, os Talking Heads eram Byrne, como os Boomtown Rats foram Geldof, os Uriah Heep, Hensley ou os Jethro Tull, Anderson -- bandas de um homem só, com os seus instrumentistas que, nalguns casos, quase que funciona(va)m como assalariados. E por falar em bandas de um homem só, é notável a influência que Byrne e os Talking Heads acabaram por ter em Robert Fripp, dos King Crimson, músico de mão-cheia, com muito mais anos de estúdio e de estrada. Compare-se Fear of Music (1979) e Discipline (1981), por exemplo faixas como «I Zimbra» (onde o próprio Fripp colabora com a sua guitarra) e «Thela Hun Ginjeet»; repare-se na forma quase imitativa do vocalista de ocasião, Adrian Belew. Posto isto, não hesito em apontar Discipline como um álbum um pouco superior a Fear of Music.

publicado por RAA às 22:30
link | favorito
Segunda-feira, 15 de Junho de 2015

12.8.2005

Cavaleiros do céu. Dei por eles em miúdo, na televisão, nuns episódios intitulados «Os cavaleiros do céu». Tanguy e Laverdure é uma bd de acção e aventura, desenrolando-se em plena Guerra Fria e salpicada pelos gags do desastradíssimo Laverdure, um trapalhão à altura do capitão Haddock. Com argumento de Jean-Michel Charlier, Uderzo foi o desenhador inicial, mas o sucesso de Astérix obrigou-o a abandonar a série. O pai do pequeno gaulês cedeu então o lugar a Jijé, criador do western Jerry Spring, próximo inspirador da que seria a obra-prima de Charlier: Fort Navajo, narrativa que viria a ganhar o nome do seu protagonista, o Tenente Blueberry. Confusos? Não faz mal. O melhor é ler esta série menor, ou secundária, de dois autores maiores dos quadradinhos.

publicado por RAA às 23:00
link | favorito

8.8.2005

Condição. Não há deus que resista à iniquidade dos homens.

publicado por RAA às 00:08
link | favorito
Domingo, 14 de Junho de 2015

5.8.2005

Grato. Hoje reli a Descida aos Infernos, do Carlos de Oliveira, quinze ou vinte anos depois. Estafado mas gratificado, após esses minutos de leitura e releitura. A tensão da escrita é para muitos autores -- e certamente foi-o para Oliveira -- uma tensão existencial. Benditos os poetas que assim se dão à partilha.

publicado por RAA às 01:42
link | favorito
Sábado, 13 de Junho de 2015

1.8.2005

Charlie Brown. Desde sempre, um dos meus heróis.

publicado por RAA às 00:34
link | favorito
Sexta-feira, 12 de Junho de 2015

26.7.2005

Almoço. Hoje, no meio de vulgares turistas, almoçava um grupo de rapazes e raparigas de uma dessas instituições sociais. Toscos por fora, lindos por dentro, pareceu-me. As histórias de cada um, só as poderemos conjecturar.

publicado por RAA às 00:32
link | favorito
Quarta-feira, 10 de Junho de 2015

26.7.2005

O outro erro. Pensar que a perfeição era concebível pelo Homem, através da ideia dada de Deus, foi o outro erro de Descartes.

publicado por RAA às 11:46
link | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 54 seguidores

.tags

. todas as tags

.pesquisar

.Julho 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.arquivos

. Julho 2021

. Abril 2019

. Outubro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub